Dicas para uma depilação perfeita!

Dicas para uma depilação perfeita!

Existe uma famosa expressão em inglês que diz “sem dor, sem ganho”, e as mulheres adeptas da depilação sabem muito bem o quanto isso é verdade. Embora a tecnologia seja uma grande aliada na hora de eliminar os pelinhos indesejados, a dor ainda é bastante presente no nosso dia a dia.

A depilação íntima feminina exige cuidados extras para evitar incômodos como inflamações, pelos encravados e manchas. Mulheres que optam pela depilação íntima total, ou seja, remoção completa dos pelos da virilha e perianal, devem ficar ainda mais atentas.

Como o pelo é um tipo de barreira natural de proteção contra bactérias e outros agentes nocivos, a ausência deles pode ocasionar problemas à saúde, como infecções e contaminação de doenças. O contato direto com a calcinha aumenta a umidade da região e isso contribui para a proliferação de bactérias.

Da mesma forma, o excesso de pelos também pode ser prejudicial ao organismo, aumentando o acúmulo de secreções na região íntima. Isso pode atrair mais fungos e causar corrimento, coceira, mau cheiro e ardor. O ideal é manter os pelos aparados e cortá-los a cada 15 dias, para manter o local arejado.

Confira, abaixo, como escolher o método ideal, além de dicas para garantir uma depilação perfeita!

Adote a técnica ideal para você

Bastante utilizada para a remoção dos fios, a lâmina não provoca dor, além de ser prática, rápida e acessível a todos os bolsos. Porém, pode não ser tão eficaz quanto se espera, uma vez que os pelos não são arrancados pela raiz e voltam a crescer três dias depois. Apesar disso, a dica para quem opta por ela é não passar sabonete na região antes do procedimento, pois ele pode ressecar a pele, e sempre deslizar o aparelho no sentido do crescimento dos fios.

Boa opção para quem tem a pele mais sensível, o creme depilatório também é bastante requisitado por não causar dor. No entanto, como apenas corrói a base do fio, sua remoção é tão superficial quanto a promovida pela lâmina. Além disso, o cosmético pode provocar alergias.

Entre as opções de cera, a fria não é a mais indicada por causar dor e ser agressiva. Já a quente, pode ser associada a outros ativos que reduzem a agressão à pele, como mel ou algas.

Um pouco menos comum que os demais procedimentos devido ao custo, o depilador elétrico é eficaz na depilação, pois arranca o fio pela raiz. O processo, no entanto, tende a ser mais doloroso.

Esfolie

Independentemente do método escolhido, a esfoliação é essencial para deixar a pele lisinha. Por isso, deve ser feita até um dia antes da depilação, pois promove a remoção das células mortas e a abertura dos poros, facilitando a retirada dos fios. “Os cremes com ação mais leve e grânulos finos ou médios são os mais indicados, pois não agridem tanto. Apesar disso, a esponja vegetal também pode ser utilizada sem medo”, recomenda a especialista.

Mantenha a pele sempre hidratada

Especialmente após a depilação, vale a pena dar preferência a cremes que não contenham álcool ou ureia em sua formulação, pois essas substâncias podem irritar a pele que já está sensibilizada.

Acalme a pele

Além da hidratação, que deve ser feita regularmente e intensificada após a remoção dos pelos, é importante investir na aplicação de géis pós-depilatórios com efeito calmante.

Evite bronzeamento artificial

Repleto de restrições, o bronzeamento artificial não deve ser feito num período próximo à depilação. Isso porque, quando realizada antes da remoção dos fios, a técnica pode ter seus resultados comprometidos, uma vez que a cera tende a retirar o pigmento aplicado. Já com a pele recém-depilada, o cosmético utilizado para conferir o tom dourado pode causar alergias ou irritação, devido à sensibilidade da área.

Manchas por Depilação

Dependendo do tipo de agressão na pele, podem surgir  algumas manchas.

Se ocorrer irritação, a produção de melanina aumenta e provoca o escurecimento da região depilada. Logo, peles mais morenas estão mais propensas a ter manchas, já que contêm mais melanina.

Todos os métodos agredirem a pele, porém o nível da agressão varia bastante. O uso da lâmina, no sentido do crescimento do pelo, é um dos menos traumáticos, apesar de o resultado durar pouco. A cera quente é o mais agressivo, pois traumatiza a pele com o calor e com a puxada. Já a depilação definitiva é bem segura, não causa traumas nem manchas.

Para prevenir as manchas, o ideal é conversar com o dermatologista para manipular cremes depilatórios, para que sejam feitos com ingredientes anti-inflamatórios, como o peróxido de benzoíla. Isso não impede por completo que as manchas apareçam, mas diminui bastante a chance.

Como tratar as manchas por depilação?

O tratamento é feito com cremes clareadores, normalmente à base de ácido kójico e hidroquinona, com concentrações que variam dependendo do tipo da pele e da mancha. Nas marcas mais antigas, uma saída é o peeling químico, associado com aplicações de laser e luz pulsada. O método escolhido e o número de sessões variam, dependendo do local, da pele e do escurecimento.

Como evitar o escurecimento das axilas?

Considerado um dos grandes vilões da beleza feminina, o escurecimento das axilas, possui diversas causas: alterações hormonais, atrito, suor excessivo, obesidade, irritações por desodorantes, tecidos sintéticos e algumas formas de depilação.  Além disso, mulheres de pele morena têm mais predisposição à alteração da pigmentação da pele.

Algumas dessas causas só podem ser evitadas através de tratamentos médicos. Já para outras, bastam algumas mudanças de hábito: evitar métodos depilatórios agressivos, o uso de tecidos sintéticos e desodorantes com álcool.

Caso você já tenha notado o aparecimento da pigmentação, o melhor é ir ao dermatologista logo no início. Isso porque, dependendo do quadro, apenas o uso de hidratantes ou a troca do desodorante pode solucionar o problema. Entretanto, nos mais graves, é necessária a utilização de cremes despigmentantes feitos à base de ácido, produzidos por manipulação e receitados somente por médicos.

Pelos Encravados

O encravamento de pelos é um dos maiores dramas estéticos femininos. Afinal, não há mulher que não queira ficar com a pele lisinha, sem bolinhas ou pontinhos pretos de atrito. O ideal, segundo os especialistas, é fazer a depilação a laser, mas, apesar de ser bem conhecida, o preço ainda é muito alto.

O que fazer para evitar pelos encravados?

Os esfoliantes corporais com grânulos ajudam na remoção das células mortas, afinando a pele. Assim, facilitam a passagem do pelo. Mas eles têm de ser usados de forma constante, pois toda vez que os pelos crescem podem acabar encravando de novo. Existem bons produtos que levam algum agente bactericida na fórmula, como o Triclosan. Além de esfoliar, eles combatem possíveis inflamações, que podem piorar o quadro.

A depilação a laser é uma das melhores soluções para evitar os pelos encravados. O calor do laser destrói a matriz do pelo (local onde ele nasce), e por isso ele não volta a crescer tão rapidamente. E quanto menos pelos, menor a probabilidade de encravamento.

Se ainda não dá para investir nesse tratamento, a saída é usar um creme que ajude a desencravar os pelos e usá-lo com frequência. Bons princípios ativos para isso são: ureia, ácido salicílico, peróxido de benzoíla e ácido retinóico. Converse com seu dermatologista e peça uma receita.

 

 

Deixe seu comentário

Add Comment