Invista em um negócio de impacto social

Invista em um negócio de impacto social

No mundo dos negócios, a expressão “faça a diferença” vem ganhando um novo sentido. O empreendedorismo social é a prova de que é possível desenvolver atividades lucrativas e, ao mesmo tempo, gerar benefícios para as pessoas em condição socioeconômica mais frágil.

Algumas empresas ligadas a esse ramo de atuação, que é relativamente novo, também são conhecidas por promoverem a inovação disruptiva. Trata-se de um modelo de negócios em que novos nichos de mercado são abertos por empresas jovens ou em expansão.

Um dos exemplos desse tipo de empresa são as cooperativas de microcrédito, empreendimentos bem-sucedidos na Índia e atualmente replicados em diversas partes do mundo. Entenda como funcionam esse modelos de negócio, que, além de lucrativos, ainda auxiliam comunidades e o mundo em que vivemos.

O que caracteriza um negócio social?

Não é apenas na organização interna que uma empresa pode ser definida como socialmente responsável. Na verdade, tudo depende da forma como o negócio é constituído legalmente, ou seja, como a entidade formada é registrada no CNPJ, o Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas.

Na hora de fazer o registro, é fundamental incluir “gerar impacto social” como atividade-fim. Isso porque as empresas classificadas dessa forma têm seus balanços avaliados em função não do lucro, mas dos resultados que geram em termos sociais.

É importante destacar, ainda, que a composição societária em empresas desse ramo é livre, sendo facultado aos seus fundadores organizarem-se na forma de Sociedade Anônima, Limitada ou Terceiro Setor. No mais, todos os processos são iguais aos de outras empresas, inclusive no que concerne às obrigações relativas contratação de funcionários.

Como começar um negócio de impacto social?

O empreendedorismo social começa pela identificação de uma carência ou problema social em uma comunidade vulnerável economicamente.

Nesse aspecto, e em muitos outros, o negócio de impacto social é idêntico a uma empresa dedicada ao lucro. É preciso, antes de mais nada, que seus criadores estejam engajados em melhorar a vida das pessoas, e, junto a isso, contem com o conhecimento necessário para empreender.

Afinal de contas, boa vontade não é suficiente, considerando que todo negócio precisa operacionalizar suas atividades para ter êxito. Assim, é imprescindível que as pessoas envolvidas realmente tenham experiência no nicho a ser explorado.

Empresas de impacto social como a Doutor Consulta, por exemplo, jamais poderiam sair do papel se seus gestores de fato não tivessem em experiência em atendimento médico.

A gestão do negócio, naturalmente, também deve ser profissional. Empreendimentos do terceiro setor, ou que tenham como atividade-fim a geração de impacto social, são tributados como todos os outros, embora sejam isentos de alguns pagamentos.

O projeto deve ser igual ao de uma empresa comum?

Para as empresas que começam um empreendimento, independente do ramo, é fundamental ter um plano de negócios estruturado. Resumidamente, é necessário:

  • Definir o modelo de negócio em Canvas;
  • Expor a proposta de valor;
  • Montar o plano de marketing;
  • Detalhar a estrutura de custos.

Confira nosso e-book e descubra agora mesmo como montar um plano de negócios.

No entanto, é possível que empresas já constituídas queiram entrar no ramo do empreendedorismo social. Um exemplo disso é a Oi, que recentemente fechou uma parceria para geração de energia limpa nos municípios mineiros de Janaúba e Capitão Enéas.

Trata-se de um exemplo lapidar de negócio voltado para a transformação social, levado a cabo por uma empresa já consolidada no mercado. Perceba que, embora a pegada social e ecológica seja a força motriz do projeto, para a empresa de telefonia existe um retorno direto, na forma de aproveitamento da energia gerada nas próprias unidades da empresa. É o útil unindo-se ao agradável, gerando benefícios para todos os envolvidos.

Se a sua empresa é uma PME, talvez seja interessante explorar uma atividade lucrativa e que ainda possa reverta em melhorias para a comunidade em que está inserida. Há possibilidades para negócios de todos os portes, como os exemplos citados evidenciam.

O que mais é preciso para ir em frente?

A ideia de formar uma empresa que seja simultaneamente dedicada ao lucro e voltada para o social parece muito atraente, ainda mais considerando a desigualdade no Brasil. Contudo, ter um vasto terreno de atuação não é sinônimo de ausência de regras e critérios, certo?

Por isso, antes de entrar no ramo do empreendedorismo social é importante conhecer realmente os problemas que sua empresa pretende solucionar. Você não precisa, necessariamente, ser morador da região a ser atendida, ou ter sofrido os mesmos problemas que se propuser a resolver. Entretanto, deverá ter uma base de conhecimento sólida nesse sentido.

Uma alternativa é incluir as pessoas que serão beneficiadas na elaboração do plano de negócios. Afinal, elas conhecem melhor do que ninguém as dores que a empresa deverá resolver.

Não se pode ignorar que problemas sociais, embora sejam comuns, não são simples de serem resolvidos. Será necessária uma excelente ideia, assim como um plano de ação muito consistente e uma retaguarda capaz de apagar eventuais “incêndios” no negócio. Esteja certo de que não serão poucos os desafios a serem enfrentados e superados.

Quais são as expectativas para o terceiro setor?

O segmento de empresas voltadas à promoção de melhorias sociais está em franco crescimento e mostra fôlego de sobra, mesmo em tempos de recessão. Em 2015, pela primeira vez na história, o IBGE incluiu as atividades desse ramo nas suas pesquisas. De acordo com o levantamento, naquele ano as empresas de impacto social eram responsáveis por 1,4% do PIB do Brasil, movimentando 32 bilhões de reais.

A título de comparação, o segmento de jogos online, um dos que mais crescem no mundo, movimentou, em 2017, apenas 15% do que o terceiro setor já movimentava há 3 anos. Considerando o enorme potencial de crescimento, certamente o empreendedorismo social é uma alternativa para que seu negócio seja mais lucrativo e faça a diferença. Cuide do planejamento, busque o apoio das pessoas certas e faça do mundo um lugar ainda melhor!

Quer saber como aumentar ainda mais suas chances de sucesso e potencializar seu empreendimento social? Amplie seus horizontes e entenda por que você deveria se importar com as incubadoras de empresas em uma estratégia de negócios!

 

 

 

 

 

Com informações Oi Empresas

Deixe seu comentário

Add Comment