Mitos e verdades sobre óleo de coco

Mitos e verdades sobre óleo de coco

O óleo de coco caiu nas graças de quem procura produtos naturais. Apesar de ser cada vez mais indicado em dietas alimentares, o óleo de coco ainda é motivo de dúvidas, mitos e lendas aos seus benefícios para a saúde.

Em meio a tantas opiniões de médicos, nutricionistas, associações e estudos nacionais e internacionais, acabamos nos confundindo cada vez mais. Mas não tem problema! Hoje, vamos explicar um pouco mais sobre os mitos e verdades desse óleo tão polêmico.

Antes de começarmos a analisar, vale lembrar que não existem milagres. Nenhum produto hoje garante perda de peso e melhora na saúde sem um estilo de vida minimamente saudável. É preciso saber que alimentos saudáveis podem, sim, auxiliar na perda de peso e em um melhor funcionamento do organismo, mas eles devem ser aliados de uma alimentação balanceada e de exercícios regulares. Vale lembrar também que o acompanhamento de um profissional, seja um médico ou um nutricionista, é muito importante porque ele saberá analisar seus exames e te dizer o que será melhor para o seu corpo!

Óleo de coco virgem, extravirgem e refinado: qual a diferença?

A diferença entre os três está tanto nas suas características, quanto ao seu uso recomendado.

Entretanto, não existe um órgão oficial que defina a diferença entre o óleo de coco virgem do extravirgem. Mas isso não impede que as marcas possuam produtos com essas denominações. Nesses casos, as empresas usam critérios próprios para categorizar seus produtos.

De maneira geral, as principais marcas brasileiras utilizam a despeliculagem como critério para diferenciar seu óleo de coco extravirgem daquele rotulado como virgem.

Basicamente, o óleo obtido a partir da polpa (a “carne branca”) ainda recoberta por uma película externa chamada de endocarpo recebe o nome de óleo virgem, enquanto o extra-virgem é aquele obtido pela polpa completamente despeliculada.

O óleo de coco refinado, por outro lado, é obtido através da polpa deixada para secar em condições ambientes, e que, devido à presença de contaminantes, precisou passar por um processo de refinamento, alvejamento e desodorização.

Confira as diferenças na tabela abaixo:

Tipo

Características Indicações

Extravirgem

Cor translúcida, sabor e aroma do fruto

Saúde, culinária e estética

Virgem

Cor amarelada, sabor e aroma do fruto

Produção industrial de alimentos e cosméticos

Refinado

Normalmente incolor, sem sabor nem aroma

Cozimento em altas temperaturas, frituras e refogados

 

Queremos entrar nos fatos por trás desses mitos em um esforço para redescobrir o verdadeiro valor desta substância benéfica. Então confira.

MITOS E VERDADES SOBRE ÓLEO DE COCO

  • Óleo de coco proporciona saciedade?

Verdade: Por deixar mais lento os processos da digestão, o consumo de óleo de coco inibe a fome excessiva, a famosa gula. Dependendo da quantidade que for consumir, você deve diminuir a ingestão de carnes e produtos que tenham alta quantidade de gordura saturada para manter o equilíbrio na dieta.

  • Óleo de coco emagrece?

Mito: Ao contrário do que muitas pessoas dizem, o óleo de coco sozinho não emagrece. Como já dissemos: não existe ainda nenhum produto que faça emagrecer milagrosamente de forma saudável.

  • Não pode ser usado em creme de tratamento para cabelos?

Mito. Além de garantir todos os benefícios já citados quando é aplicado sozinho, na umectação, o óleo de coco também pode turbinar cremes de tratamento  – principalmente, se os fios estiverem precisando de uma nutrição intensa. Para fazer isso, a dica é separar a quantidade de creme que será usado em um recipiente e adicionar o óleo para fazer a mistura e aplicar nos fios. Colocá-lo diretamente na máscara não é recomendado porque o produto e o ingrediente natural podem perder suas propriedades se ficarem dias misturados e sem uso.

  • Pode ser usado para hidratar o corpo?

Verdade. Por ter alto poder de penetração, além do cabelo, o óleo de coco também é um dos melhores ingredientes para hidratar e aumentar a maciez do corpo e da pele. Até mesmo nas regiões mais ressecadas –  como joelhos e cotovelos -, ele é capaz de entregar esse benefício se for usado regularmente.

  • O óleo ajuda a combater a prisão de ventre?

Verdade: Segundo a nutricionista, alimentos que possuem gorduras normalmente auxiliam na digestão. As gorduras se misturam com o bolo alimentar e as fezes, facilitando a passagem pelo sistema digestivo.

  • O óleo de coco pode substituir o azeite?

Mito: O azeite não deve ser trocado pelo óleo de coco, pois é rico em ômega 9, uma gordura saudável que beneficia a saúde cardiovascular e a redução do colesterol. Já o óleo de coco possui gordura saturada que, apesar de ser de mais fácil absorção, não possui nutrientes para o organismo.

  • Todo mundo pode consumir o óleo de coco?

Mito: Pessoas que tem problemas cardiovasculares, colesterol alto e síndrome metabólica devem ter atenção quando forem utilizar alimentos ricos em gordura saturada, como é o caso do óleo de coco.

 

 

 

 

 

Deixe seu comentário

Add Comment