A VERDADE OCULTA

Home A VERDADE OCULTA

A verdade oculta começou a ser vista a olhos nus a parir do dia 05/09/2019, tornando uma guerra após.
No dia 01º/08/2019, os médicos Dr. Márcio Luiz Antonini Mello e Dra. Ana Cecília Barros Magalhães iniciaram na UPA do Idoso. Os médicos se conheceram na unidade de saúde e começaram a travar uma luta e resistência da população, diante da atitude do Gestor Público ou alterar a UPA para a Clínica do Idoso. Já no primeiro dia, se depararam com os problemas estruturais, sem material de trabalho (receituários, medicações básicas,…);
O contrato de ambos se tratava de um contrato emergencial e com carga horária das 08:00h às 12:00h e das 13:00h às 17:00h. Porém, esta não era uma realidade no cenário da UPA do Idoso, eles sequer conseguiam ir ao banheiro, quem dirá almoçar.
A população mostrava revolta ao entrar no consultório, ao sair eram só elogios, os médicos atuaram com maestria e isso pode ser constatado pelas redes sociais. Nos 45 dias que ambos estavam no atendimento de idosos, viram inclusive, pacientes com idade inferior a 60 anos implorando por atendimento na UPA do Idoso.

FATOS DELITUOSOS PRATICADOS

No dia 05/09/2019, na reunião semanal de equipe os médicos com felicidade levaram como pauta que através de um contato dentro do poder público por parte da esposa do Dr. Márcio, que se chama Cláudia Cassiane Antonini Mello, havia tido um retorno positivo acerca do pedido de informatização daquela unidade, neste momento apenas uma das responsáveis pela equipe estava na reunião, a contratada por uma das responsáveis pela UPA do Idoso, se mostrou revoltada, pois como isso havia chegado ao Secretário, visivelmente com o EGO ferido, findou-se a reunião daquele dia com clima péssimo, pois parecia que aquele pedido havia sido uma afronta.
No dia 06/09/2019, os Médicos começaram a sofrer diversos tipos de danos. Uma das responsáveis pela UPA do Idoso, deu a uma Enfermeira, uma função patética, a de responsável pelo Posto, esta Enfermeira abria e fechava o Posto, única que possuía a chave e a senha do alarme da UPA do Idoso, porém, a mesma recebeu a função de “olheira”, fofoqueira,… Mas ela incorporou, como se fosse a chefe de tudo e todos. Logo nos primeiros dias, a Enfermeira agiu de forma afrontosa e desrespeitosa invadindo o consultório da Dra. Ana, que no momento estava em uma consulta, cortando o atendimento entre a médica e o paciente, ficando parada ao lado da mesa e dizendo que precisava falar com a Dra. Ana. Além de interromper a consulta, a mesma ficou ali pressionando que a Dra. Ana liberasse a paciente. Esse fato foi uma das primeiras afrontas à Dra. Ana, porém, esse fato ocorreu por diversas vezes, até este momento, os ataques ao Dr. Márcio eram indiretos, se tratavam de calúnias, insinuações e mentiras levadas à gestora nos bastidores.
No dia 12/09/2019, ocorreu uma reunião com “pessoas (cartas) marcadas” obviamente, mas os Médicos desconheciam a máfia que estava ali. Nesta reunião, se fizeram presente representantes da Fundação de Saúde de Canoas, e neste ato toda equipe estava reunida. A Diretora da UPA dos Idosos indagou sobre o funcionamento da entidade, o mesmo relatou que ele e a responsável pela UPA do Idoso faziam tudo nas unidades de saúde anteriores, desde unha encravada e até sutura, ou seja, se passando por médico, induzindo por diversas vezes se tratar de médico se dirigindo aos médicos como “colegas” (clássica falsidade ideológica). Não obstante a esses fatos, foi relatado na reunião pela voz do Diretor que colocaram como política das unidades de saúde, que técnicos de enfermagem fariam o acolhimento e triagem. A Enfermagem faria consultas e iam conversar com as FARMÁCIAS para aceitarem as receitas assinadas pela Enfermagem, ficando explícito a desvalorização da Classe Médica. Dr. Márcio se coloca a todo momento solícito e defendendo um atendimento humanizado e de excelência sem saber que aquela reunião era com “cartas marcadas”.
Após essa reunião, os Médicos chamaram a chefe da UPA do Idoso, para reunião para relatar os fatos ocorridos contra eles pela Enfermeira, a chefe da UPA do Idoso se negou a tomar providências. Neste ato, os Médicos chamaram a Enfermeira para esclarecer os fatos. A Enfermeira citada em meio aos pacientes “gritava”: “ Eu vou mandar aquele Médico tirar a bunda da cadeira e atender”, batendo na mesa em total descontrole emocional. Indagada sobre o fato, a mesma disse que ela agia assim porque os pacientes usavam de pressão. Dra. Ana lhe indagou que essa medida não justificava os atos dela. Tudo isso foi gravado. Ao chegar os responsáveis pela UPA do Idoso, ela fala em áudio que ia se retirar porque estavam gravando, e assim se encerrou a reunião. A Enfermeira no mesmo dia foi ao Órgão Policial em ato delituoso e fez um Boletim de Ocorrência – B.O., contra ambos os Médicos, por ameaça, relatando um fato que não ocorreu que o Dr. Márcio tentou agredi-la, porém, não conseguiu, pois tinha uma mesa o que de fato não ocorreu, pois, o médico nem e aproximou da Enfermeira. No dia seguinte a este fato, os Médicos foram recebidos por uma comitiva da saúde de Canoas – RS, em que apenas haviam Técnicos de Enfermagem e Enfermeiros. “Os Médicos foram acareados acerca de fatos separados da Enfermeira os mesmos foram atacados com total inversão dos fatos”. Após serem atacados, pediram que os mesmos saíssem da sala. Ao se retirarem da sala, dispensaram a Enfermeira que atuava de forma correta. No ato que a Enfermeira correta foi adentrar a sala, ouviu a Enfermeira rindo e disse: “Irei colocar os pregos no caixão do Dr. Márcio e ele não irá mais trabalhar em nenhum local aqui do Estado do Rio Grande do Sul, e toda a sala estava ironizando e rindo, tomando cafezinho como se estivessem em uma reunião festiva, ficou clara que aquela reunião era apenas uma emboscada dos Médicos. A enfermeira correta foi dispensada, com alegação que ela não teria nada acrescentar. Os Médicos foram dispensados juntamente com a Enfermeira correta, que era a única correta. No mesmo dia foi relatado no grupo da UPA do Idoso, que as folhas ponto dos funcionários havia sumido. Fica clara mais uma forma de atentar contra os médicos, se eles foram os primeiros a sair, como saberiam das folhas ponto.
No dia 17/09/2019, os médicos chegaram para atendimento, quando se depararam com um RT Médico atendendo no consultório da Dra. Ana, os dois Médicos ficaram no aguardo. Após perceber a presença dos Médicos o RT chamou-os para conversar. Eles indagaram porque ele estava lá, o mesmo disse que lhe informaram que a Dra. Ana e o Dr. Márcio não retornariam mais ao atendimento. Os Médicos de pronto lhe indagaram sobre a resposta da acareação de sexta feira que ficou acertado ser passada na próxima segunda feira, o mesmo disse que ainda não tinha respostas. Enquanto isso, a Enfermeira em risos altos e irônicos na recepção como se fosse um dia festivo, ecoava os corredores da UPA do Idoso. A reunião entre Médicos e o Gestor da Fundação seguia em um dos consultórios, o mesmo sempre com argumento em punho e tirando corpo fora, o mesmo se mostrava solícito com os Médico, porém sem nenhum auxílio ou respaldo para a classe. Em determinado momento, Dr. Márcio se ausentou para ir ao banheiro ficando a Dra. Ana apenas na sala, onde o gestor a indagou, perguntando se a Dra. Ana tinha conhecimento que o Dr. Márcio ia trabalhar etilizado ou sobre uso ou entorpecentes. Dra. Ana em suma indignação indagou ao colega se o mesmo não tinha bom senso e que o Dr. Márcio havia compartilhado com a equipe que tinha parado de fumar, mas para esfregar na cara dessa gestão fraudulenta, o mesmo se submeteu ao exame toxicológico (claro que isto foi posterior à ação caluniosa). Após o RT ir embora, o atendimento seguiu naturalmente.
No dia 18/09/2019, o RT (Master) ao fim do dia, ligou para os Médicos avisando que ambos comparecessem na manhã seguinte na Fundação de Saúde de Canoas, às 08:30h para uma reunião.
No dia 19/09/2019, os Médicos foram até a Fundação de Saúde de Canoas, acompanhados de um advogado do Sindicado Médico do Rio Grande do Sul – SIMERS, foram recepcionados por uma equipe de 3 gestores e o advogado da Fundação. Foram comunicados de que toda a equipe da UPA do Idoso seria realocada, informando que o Dr. Márcio seria realocado para a UBS Guajuviras, e a Dra. Ana para a UPA Serne, ambos receberam a notícia com surpresa, já que a satisfação dos pacientes era clara. Ambos em acordo com o advogado decidiram não assinar a realocação. Em uma pressão por parte da gestão, queria que ambos fossem a UBS alegando que haviam pacientes a serem atendidos. Oe Médicos, no mesmo momento, pediram para ligar para a UBS para se informar se havia pacientes graves, e obviamente, não haviam, pois trata-se se UBS e tinha médicos atendendo lá, o que descaracteriza qualquer tipo de crime ético. Mesmo após esta constatação, o advogado da Fundação pressionou e intimidou os Médicos, informando que eles sofreriam as consequências, mesmo sob pressão, eles não cederam e também não se dirigiram às unidades que supostamente foram realocados, e foram procurar seus direitos. Por fim, um paciente indagou à Dra. Ana que a gestão havia informado a ele que o Dr. Márcio sempre se dirigia ao trabalho alcoolizado todos os dias.

 

OS PERSONAGENS DESTA HISTORIA

 

 

 

Por Cláudia Cassiane Antonini Mello