Gravidez tardia: Riscos e benefícios de engravidar após os 35 anos.

Gravidez tardia: Riscos e benefícios de engravidar após os 35 anos.

Então você se forma na faculdade, é efetivada no emprego, espera aquela promoção na empresa, dá entrada no apartamento e, finalmente, acha que está pronta para aumentar a família.

Mas aí tem aquela viagem imperdível, o mestrado que vai ocupar muito do seu tempo ou, então, o futuro pai dos seus filhos não apareceu ainda.

De repente, você apaga as velinhas dos 35 anos e só o que consegue ver à sua frente são os sinais de que o tempo está passando… E não há creme que disfarce a queda da sua quantidade de óvulos – fica, mesmo, cada vez mais difícil engravidar.

No entanto, cada época da vida tem seus prós e contras quando o assunto é ter um filho. Às vezes, é seu emocional que precisa de mais cuidado, às vezes, é o seu exame de sangue que pede mais atenção. Seja quando for, um benefício (e o maior de todos) é inegável a qualquer tempo: tornar-se mãe.

Aí você se pergunta: Qual a idade certa? Será que ainda posso ser mãe? O que será difícil com a minha idade? É perigoso?

A TPM agora te ajudará a responder essas e outras dúvidas que toda mulher tem. Confere ai!

  • A partir de qual idade uma gravidez já é considerada tardia?

Não existe um consenso, o que existe são cenários diferentes. Uma gravidez pode ser tardia pelo risco de complicações – seja com o bebê ou com a mãe – ou pela questão da fertilidade da mulher. Falamos em “idade ideal” pela natureza, mas cada caso é um caso.

O risco de saúde para a grávida começa, em especial, a partir dos 40 anos, pois aumenta a probabilidade do desenvolvimento de hipertensão, diabetes e alterações genéticas. Entretanto, uma mulher de 40 anos que está em um peso saudável, que não fuma, que tem pressão arterial normal, oferece melhores condições para a gestação do que mulher de 35 com problemas de saúde pré-existentes. Vale analisar.

O que devemos ter em mente é o declínio da taxa de fertilidade feminina. A partir dos 30 anos, esse índice começa a cair lentamente. Já a partir dos 35 anos, o processo acelera e aumentam os riscos de aborto espontâneo e de alterações de saúde. Aos 37, esses fatores ganham ainda mais importância.

  • Quais as vantagens da maternidade tardia?

Quando existe o desejo de ser mãe toda idade será boa, mas especialmente no caso da maternidade tardia, estamos diante de mulheres que normalmente têm uma maior estabilidade emocional e econômica, que sempre será favorável os filhos. A maturidade da mulher é um momento ótimo que vai beneficiar sua relação com os filhos e a família.

  • Qual a diferença de uma gravidez aos 35 e aos 40 anos?

Nenhuma. A partir dos 35 anos, as mulheres começam a sofrer uma espécie de contagem regressiva. Aumentam as chances de ocorrer doenças como diabete e hipertensão. Com as alterações hormonais ou desequilíbrios metabólicos, elas podem ser desencadeadas caso a mulher possua predisposição genética ou histórico familiar. O excesso de peso também favorece a manifestação das enfermidades, principalmente se associado a uma vida sem cuidados básicos com a saúde.

  • Pode engravidar após os 40?

Aos 40 anos, de 40 a 50% das mulheres apresentarão dificuldades para engravidar naturalmente. Isso tem a ver com a qualidade e a quantidade dos óvulos. A menopausa, que se aproxima nesta faixa etária, nada mais é do que uma consequência do fim da reserva ovariana, pois, com o passar dos anos, essa reserva sofre quedas tanto em quantidade quanto em qualidade – uma vez que esses óvulos também envelhecem.

  • Que outros problemas essa gravidez pode apresentar?

Como os óvulos têm um prazo de validade, o conteúdo genético deles já não é tão bom aos 35 anos. Isso pode provocar alguma falha e resultar em uma malformação do bebê. A campeã delas é a síndrome de Down.

  • Como a pílula anticoncepcional interfere na fertilidade? É mito ou verdade que seu uso contínuo pode causar infertilidade?

É mito. Este conceito não existe. A pílula apenas impede que o óvulo amadureça para a concepção, mas ele já seria perdido caso não houvesse fecundação.

  • Quais as opções atuais, em termos de tecnologia clínica, para mulheres que não desejam engravidar aos 30?

As técnicas evoluíram muito de dez anos para cá: conseguimos que o óvulo mantenha a mesma qualidade que tinha antes do congelamento. Por que isso é interessante? Tão importante quanto a idade da mulher é a idade de seu óvulo. Por exemplo, uma mulher de 34 anos que faz uma fertilização in vitro tem 60% de chances de engravidar. Se ela congelar os óvulos aos 34 anos, consegue manter essa porcentagem aos 40, 42 ou 43 anos. Por outro lado, com os óvulos de 40 anos, essa chance cai para 30%. Aos 45, cai pela metade e vai a 15%. Depois dos 45, a chance fica quase nula.

  • Que cuidados a mulher pode tomar se planejar uma gravidez tardia?

Os que são recomendáveis a qualquer pessoa: não fumar, fazer exercícios físicos regularmente, não beber álcool, ter uma dieta equilibrada e consultas médicas freqüentes.

MAPA DOS RISCO DE UMA GRAVIDEZ TARDIA

Aborto: com o aumento da idade o risco de aborto também aumenta. Dos 35 aos 39 anos de idade, o risco de aborto é 20% maior que aos 20 anos. Dos 40 aos 44, o risco de aborto aumenta para 50%.
Diabetes gestacional: Aos 35 anos de idade, a mulher tem 2 vezes mais chance de desenvolver diabetes gestacional.
Problemas com a placenta: Depois dos 30 anos de idade a probabilidade de problemas com a placenta é 2 vezes maior, e aos 40 é 3 vezes maior. Este problema pode causar hemorragias durante o parto, colocando em risco a mãe e o bebê.
Parto prematuro: Uma mulher acima dos 40 anos de idade tem uma probabilidade de mais de 40% de ter um parto prematuro do que uma mulher na casa dos 20. Os bebês prematuros têm maior risco de desenvolver problemas de saúde. Uma mulher com mais de 40 anos também tem maior risco de dar à luz um bebê com peso abaixo do recomendado.
Pressão sanguínea elevada: A pressão arterial alta pode desenvolver-se no primeiro trimestre da gravidez, também conhecida como hipertensão na gravidez ou no seu estado mais grave pré-eclâmpsia. Esta condição é mais comum em mulheres com mais de 35 anos de idade.

 

Cuidados especiais para gravidez tardia

  • Cuide do peso
  • Adote uma alimentação saudável
  • Beba no mínimo 2 litros de água por dia
  • Não realize esforços, principalmente no primeiro trimestre da gravidez
  • Evite situações de estresse
  • Se liberado pelo médico, faça caminhadas ou hidroginástica
  • Não fume
  • Não consuma bebidas alcoólicas
  • Não coma comida crua (carnes, peixes, ovos)
  • Não manuseie fezes de animais, especialmente de gatos

Deixe seu comentário

Add Comment