Higiene intima sem tabu: perguntas que não ousamos fazer.

Higiene intima sem tabu: perguntas que não ousamos fazer.

O assunto faz parte da intimidade de cada um – e de todo mundo -, mas, acredite, ainda é tabu inclusive nas consultas médicas, que poderiam ser melhor aproveitadas. Estamos falando de higiene íntima.

As pessoas acham que se trata de um conhecimento automático e instintivo, e não é. Muitas vezes, também associam higiene íntima a sexualidade, o que também está errado

Podem surgir questionamentos referentes à frequência, ao modo correto de fazer a limpeza, aos produtos de higiene adequados, além de como proceder em situações específicas. Suor, gordura, sangue, umidade, urina e células mortas… Tudo isso pode fazer com que o assunto pareça embaraçoso e até escatológico. Mas devemos entender que essas coisas fazem parte de um processo natural, e o conhecimento sobre o assunto é importante para evitar que a mulher sofra complicações por vergonha de conhecer o funcionamento do próprio corpo.

Os corpos são organismos sensíveis, um pequeno descuido na higiene íntima feminina pode ocasionar ardência, irritação, odores e até a multiplicação de fungos e bactérias nocivas. Por esse motivo, é essencial que desde cedo meninas sejam orientadas por uma (ou um) ginecologista. A maioria das mulheres procura a ginecologista após o início da vida sexual, mas especialistas recomendam que a primeira consulta seja feita antes. A médica ou médico ginecologista pode dar uma orientação técnica e precisa sobre o acompanhamento hormonal, métodos de contracepção, ciclos menstruais e higiene íntima, o que nem sempre as mães se sentem seguras para oferecer.

Para tirar todas as dúvidas e esclarecer as confusões, descubra agora o que é mito e o que é verdade quando o assunto é saúde e higiene feminina:

Dormir sem calcinha faz bem pra saúde íntima feminina?
VERDADE. Se, durante o dia, elas são necessárias para proteger a região de contágios relacionados às ruas e locais públicos, durante a noite elas são completamente dispensáveis. Por quê? Simples: estando num local limpo e seguro – como sua cama -,a região vaginal não precisa ser protegida de agentes infecciosos. Desta forma, o uso de calcinhas durante a noite apenas abafa a região e propicia a proliferação de micro-organismos, causando desequilíbrio na flora vaginal. Portanto, guarde a dica: de noite, quanto mais ventilada, melhor!

Usar protetores diários na calcinha me deixa mais limpa?
MITO. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, os protetores diários não te deixam mais “seca” e “higienizada” durante o decorrer do dia – na verdade, o efeito é justamente o contrário. Os absorventes deixam a região mais abafada e com menor respiração, facilitando a multiplicação de fungos e bactérias na região. Para a saúde vaginal, vale a máxima: quanto mais natural, melhor.

O banho regular, sozinho, deixará minha vagina totalmente limpa?
VERDADE. Não existe qualquer necessidade de limpar além da parte externa da vagina. Duchas vaginais são invasivas, alteram a flora vaginal natural. Além disso, a própria vagina regula, limpa e equilibra sua região interna, através de processos próprios do corpo humano. Fique tranquila: você estará 100% limpa e higienizada apenas com as práticas de limpeza de um banho regular.

Depilação completa e regular me deixa mais limpa?
MITO. Uma das maiores confusões referentes à higiene íntima feminina diz respeito aos pelos pubianos. Grande parte da população feminina foi levada a acreditar que permitir o crescimento de pelos possibilita o acúmulo de secreções, e que pode contribuir para proliferar bactérias e fungos. Que mito gigantesco! É essencial entender que nosso corpo – quando dentro das condições regulares de saúde – nunca faz nada para se autossabotar. Em relação aos pelos não poderia ser diferente: eles crescem nos locais onde proteção é necessária. Os pelos pubianos protegem a região vaginal e, além disso, grande parte das mulheres desenvolve processos alérgicos ou inflamatórios decorrentes da depilação. O conselho que fica é: depile-se se tiver vontade! Por questões de higiene, não há necessidade alguma.

Lenço umedecido é melhor que papel higiênico no dia-a-dia?
MITO. Novamente, quando mais neutro, melhor. Os lenços umedecidos possuem adicionais químicos que, se usados com frequência, podem desencadear reações alérgicas e irritações na região vaginal. Papel higiênico é o suficiente para manter uma boa limpeza local. Use-o de maneira suave, para secar somente a parte externa da vagina – introduzir papel na região interna pode causar infecções.

Existe um sentido certo para secar a região após o xixi?
VERDADE. O sentido mais adequado para passar o papel higiênico é “da frente para trás”. Se você seca a vagina “de trás para frente” após fazer xixi, transporta bactérias da região anal e resíduos fecais para a região vaginal, junto com o papel higiênico. Quando entram em contato com o canal da urina, estes agentes podem desencadear o processo de infecção urinária.

Ter corrimento diariamente significa que algo está errado?
MITO. Corrimento sem cheiro e sem cor é perfeitamente normal, mesmo que apareça todos os dias. Esta é só mais uma secreção resultante do bom funcionamento corporal. Entretanto, se corrimentos mais escuros, com cheiro forte ou com vestígios de sangue começarem a aparecer, procure um médico o mais rápido possível.

Existe um tipo de calcinha mais adequado para a saúde íntima?
VERDADE. Usar calcinhas 100% algodão é o mais recomendado, pois o tecido é leve, macio e permite que a região fique bastante ventilada. Calcinhas de renda ou lycra promovem o abafamento da vagina, facilitando que fungos e bactérias se multipliquem e causem problemas. Além de ser de algodão, também é importante que a calcinha não seja muito apertada.

Preciso usar sabonetes íntimos para estar bem limpa?
MITO. Muitas pensam que os sabonetes íntimos são indispensáveis, por regularem o pH da região vaginal. A verdade é que estes produtos são compostos por muitos agentes químicos e só devem ser usados em casos especiais, por mulheres que sofrem com alergias ou irritações crônicas. Quem não sofre de nenhum destes problemas se beneficia bem mais com uma higienização simples, com sabonete comum (de preferência, neutro) e água abundante. Volta a máxima: quanto mais natural, melhor.

Durante o ciclo menstrual, preciso tomar mais banhos?
MITO. Muitas mulheres ficam neuróticas com as questões de higiene durante o ciclo menstrual – mas a verdade é não há nada de sujo neste processo. Para manter-se higienizada naqueles dias, basta trocar de absorvente a cada 4 horas (no máximo), seja interno ou externo. Ultrapassando este tempo, concentra-se uma grande quantidade de sangue no absorvente e pode haver mau cheiro e proliferação de bactérias. Tomando este cuidado quanto ao período de uso dos absorventes, banhos extra são desnecessários.

8 MOMENTOS EM QUE A HIGIENE ÍNTIMA DEVE SER REFORÇADA, DIARIAMENTE, COM UM PRODUTO ADEQUADO


›› Durante a menstruação

›› Durante a gravidez

›› No pós-parto, especialmente no puerpério, que é o período de 6-8 semanas após o parto

›› Na menopausa

›› Durante tratamentos ginecológicos e outros tratamentos médicos (por exemplo, a toma de antibióticos que afetam a nossa flora vaginal)

›› Se existe incontinência urinária

›› Após fazer desporto ou se existe excesso de suor

›› Antes e depois de ter tido relações sexuais

Deixe seu comentário

Add Comment