Incêndio atinge Penitenciária Estadual de Canoas durante a noite.

Home Incêndio atinge Penitenciária Estadual de Canoas durante a noite.

Um incêndio atingiu a Penitenciária Estadual de Canoas (Pecan) na noite deste domingo (15) e foi controlado pelo Corpo de Bombeiros. Os próprios penitenciários teriam colocado fogo em colchões, segundo o corpo de Bombeiros de Canoas, que combateu as chamas. A Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) afirma que ninguém ficou ferido. Conforme o órgão, as unidades 2 e 3 foram afetadas pelas chamas por volta das 22:30hs e controlado por volta da 1hs desta segunda-feira.

Após o controle do fogo, equipes da Susepe e da BM realizaram ações de revista nos detentos, com o uso de bombas de efeito moral. Por três vezes, foram ouvidos estrondos de dentro dos prédios durante a madrugada.

Durante a madrugada desta segunda-feira (16), familiares de presos se aglomeravam na entrada do complexo — eles reclamam de falta de informações por parte da administração. Segundo os familiares, é recorrente a falta de água na penitenciária. A Susepe nega, afirmando que houve um problema isolado neste domingo devido a uma bomba que deixou de funcionar. 

Próximo das 3h20min, uma van da Susepe passou pelo grupo e atirou uma bala de festim para liberar a passagem. Logo depois, uma ambulância do Samu saiu do complexo.  A BM e a Susepe seguem afirmando que não há feridos.  Às 4h10min, viaturas da Susepe saíram do local, o que indica que foram encerradas as ações de revista.

Familiares de detentos que se aglomeravam em frente à PECAN, deixaram o local após receberem informações de um servidor da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) que contrariou as informações oficiais de que não havia feridos e afirmou que sete detentos tiveram escoriações leves e receberam atendimento. Segundo ele, diferentemente do que havia sido divulgado, o incêndio começou quando os presos  atearam fogo a colchões, e não a camisetas.

Segundo o relator, o motim teria sido ocorrido em função da instalação de um escâner corporal no complexo, há cerca de um mês. 

Após o Corpo de Bombeiros controlar o fogo, agentes da Susepe e policiais da Brigada Militar fizeram ações de revista durante a madrugada. Estrondos foram ouvidos dentro do complexo e a movimentação acabou por volta das 4h10min.