Professores de Canoas recebem treinamento para o uso do Google For Education em sala de aula

Home Professores de Canoas recebem treinamento para o uso do Google For Education em sala de aula

O ensino do futuro. É isso o que está sendo construído em Canoas com a implantação do Google For Education, que nesta semana deu início à etapa presencial da capacitação para o uso da plataforma nas escolas municipais. “Aquela história de vocês demorarem para chegar até o laboratório de informática, de a tecnologia acabar atrasando o fluxo de aprendizagem, ficou no passado”, disse a diretora de Projetos Educacionais da GetEdu, Marcele Aline Garrido, na primeira aula da formação, que contou com 50 professores nessa quarta-feira (4), e com outros 100 nesta quinta-feira (5).

O treinamento é feito diretamente nos chromebooks nesta fase, quando os professores receberam instruções. “Aqueles que participarem da capacitação irão atuar como multiplicadores dos conhecimentos adquiridos, alcançando toda a rede de ensino. No total, serão 16 horas de aula presencial e mais 34 horas online”, explicou a secretária da Educação de Canoas, Neka Freitas.

Chromebooks voltados para a Educação

“Tudo o que é novo gera insegurança no começo, mas a tecnologia desenvolvida para a Educação será muito natural em pouco tempo”, garantiu a instrutora da GetEdu ao apresentar as funcionalidades dos chromebooks, distribuídos a todos os professores durante a formação. “São poucas as diferenças do chromebook para outros laptops convencionais, mas elas tornam o processo de ensino mais simples, evitando perdas de tempo e tornando tudo mais seguro”, afirmou Marcele Garrido.

Portátil, leve e com inicialização do sistema em até 10 segundos, o equipamento com bateria carregada permanece ligado por, no mínimo, oito horas diretas – o suficiente para o uso em dois períodos de aula inteiros. O fornecimento de energia, inclusive, é feito por uma estação de recarga móvel, que visualmente se parece com um carrinho e funciona também como roteador. Além disso, basta fechar a tampa do chromebook para que o usuário, seja aluno ou professor, seja automaticamente desconectado de suas contas, garantindo a proteção de informações pessoais.

A segurança do aparelho ainda vai além: os chromebooks não funcionam fora das escolas, pois são configurados para conectar à internet apenas em redes previamente autorizadas pela Secretaria da Educação. “Essa função nos deixa muito mais tranquilos, pois reduzem completamente as possibilidades de furto dos equipamentos, uma vez que se tornam inúteis fora do ambiente escolar”, lembrou o prefeito, Luiz Carlos Busato, que participou da primeira aula da formação ao lado da vice, Gisele Uequed. “A proteção desses dispositivos também se refere ao conteúdo. Por exemplo, se um aluno pesquisar ‘como fazer uma bomba’, o Google vai mostrar resultados como receitas de bombas de chocolate, de água…”, complementou o prefeito Busato.

Entre as ferramentas abordadas no treinamento estão o Google Fotos, o Navegador Chrome, o Gmail, o Google Drive, o Google Documentos e o Google Apresentações, que abrem muitas possibilidades na preparação dos conteúdos pedagógicos. “As crianças estão cada vez mais interligadas ao mundo tecnológico e, mesmo que existam barreiras a serem vencidas, como a falta de acesso de alguns alunos à internet em casa, precisamos oferecer essa experiência e essa parceria com a Google vem promover isso”, comemorou o professor Luciano Peres, da Escola Municipal de Ensino Fundamental David Canabarro.

Os recursos desenvolvidos pela gigante da internet, como o Google Sala de Aula, também já motivam os professores a criarem estratégias para manter a atenção dos estudantes, muitas vezes roubada por uma concorrência de peso: o universo virtual trazido pelos celulares. “As aulas vão ser muito mais atrativas e vão despertar o interesse dos alunos, estimular a participação deles nas atividades e ainda prepará-los para o futuro, que será ditado pela tecnologia”, completou a professora Susana Cagliari, que leciona para turmas do terceiro ano.

Quando implantada a plataforma, os alunos e professores terão acesso a contas que os permitem utilizar, de forma integrada e em qualquer dispositivo, diversas ferramentas pedagógicas. No Google Sala de Aula, por exemplo, eles poderão disponibilizar tarefas, corrigir trabalhos e dar nota com mais agilidade e precisão, segundo a vice-prefeita Gisele Uequed. “Todos esses esforços, que vão impactar mais de 28 mil estudantes na cidade e exigem planejamento, dedicação e organização financeira, refletem a maneira como a nossa gestão entende a educação: como um investimento que sempre vale a pena, e jamais como um gasto”, finalizou a vice-prefeita.