UPA Rio Branco – Antes de tudo, não fazer mal ao paciente

Home UPA Rio Branco – Antes de tudo, não fazer mal ao paciente

Recebemos o relato de um médico que vivenciou momentos difíceis na UPA Rio Branco, e conta-nos a difícil situação na qual encontra-se a saúde de Canoas.

Boa noite,

Quero realizar uma denúncia sigilosa através deste canal, sobre o grave descaso com a saúde do usuário do SUS no município de Canoas, especificamente com a situação atual na UPA Rio Branco, localizada em bairro de nomenclatura homônima. Prefiro manter o sigilo para evitar retaliações, gosto do trabalho que realizo, mas sofro diuturnamente com a situação degradante à que as pessoas estão sendo submetidas.

Primun non nocere (antes de tudo não fazer o mal – ao paciente), é o mais importante preceito hipocrático (de Hipócrates – o Pai da Medicina) para o exercício da medicina, e vem sendo violado cotidianamente na UPA Rio Branco, devido à falta de condições adequadas para que os trabalhadores da saúde possam oferecer em tempo oportuno o tratamento que o paciente necessita, fazendo com que o atendimento em saúde deixe de ser para cuidar, tratar, curar e reabilitar, transmutando-se em grave iatrogenia.

A situação atual da UPA Rio Branco está comprometendo de forma grave a saúde das pessoas que por ali passam, bem vamos aos problemas mais graves:

– Conceitualmente, as UPAs são serviços intermediários entre a Atenção Básica e os serviços hospitalares (secundários e terciários), devendo o paciente receber o atendimento para para elucidação diagnóstica, de acordo com os meios disponíveis, permanecendo no máximo 24 horas na UPA e, devendo após este tempo, ser encaminhado para internação hospitalar caso exista necessidade de tratamento prolongado ou caso seja necessário prosseguir uma investigação com recursos indisponíveis nas UPA:

– Na UPA Rio Branco já virou rotina, há muito tempo, ter pacientes internados que realizam tratamentos completos, com tempo de internação na UPA de 7 a 10 dias, sem ser transferidos para o hospital. E por mais que os profissionais se esforcem, as condições físicas são inadequadas para estadia prolongada. 

– Atualmente, existem pacientes internados na sala de medicação, permanecendo sentados 24 horas por dia, em cadeiras desconfortáveis, sem conseguir deitar-se, sem ter direito a privacidade, comendo com prato na mão, dentro de uma sala com grande circulação diária de pessoas. ISSO É DESUMANO!

– Rotineiramente, pacientes com quadro grave, muitas vezes com necessidade de tratamento em UTI, permanecem internados na UPA por dias. Recentemente, um paciente com IAM (infarto Agudo do Miocárdio) com Supra de ST, foi atendido na UPA, diagnosticado, estabilizado e quando deveria ser transferido, não havia leito disponível, precisando permanecer internado na UPA, acabou evoluindo com piora do quadro (possivelmente reinfartou), apresentou uma Parada Cardio Respiratória e posteriormente óbito. ISSO É CRIMINOSO. 

– Faltam materiais e equipamentos básicos com frequência. Recentemente faltou eletrodo (um adesivo que é colado na pele) para realizar Eletrocardiograma e para monitorização do paciente, indispensável para atendimento de urgência. Os médicos precisam levar equipamentos próprios para atendimento e diagnóstico, como otoscópio, por exemplo. 

– O mobiliário e equipamentos da UPA estão sucateados. Faltam equipamentos de informática em áreas essenciais. Padrão de mobiliário inadequado de acordo com a medicina e segurança do trabalho, expondo, desnecessariamente, profissionais a doenças ocupacionais. Um exemplo crítico: o carrinho de parada fica trancado com cadeado, algo inaceitável para proteger materiais que são usados em situações de urgência e emergência.

– A equipe é subdimensionada, principalmente os profissionais de enfermagem, que encontram-se sobrecarregados de tarefas.

– A situação assistencial piorou muito após o fechamento das UPAs Caçapava, UPA Niterói e UPA do Idoso, que realizavam mais de 10.000 atendimentos mensais. O discurso externo é de que a UPA do Idoso e a Niterói não fecharam, mas na realidade a UPA do Idoso passou a realizar apenas atendimentos agendados, sem realizar acolhimento de demanda espontânea e a UPA Niterói está no mesmo caminho, o que vai precarizar ainda mais a qualidade do atendimento nas demais estruturas.

Sei que estes problemas são crônicos na saúde de Canoas, mas existem algumas coisas que não podem esperar, as pessoas que precisam deste serviço estão sem voz e sofrendo. 

Peço encarecidamente, se puderem, realizem uma visita presencial na UPA no dia de hoje para avaliar a situação das pessoas, conversem com os pacientes, com os trabalhadores, vejam a situação de precariedade. Tentem ajudar a solucionar pelo menos os itens que citei acima como DESUMANO e CRIMINOSO, os demais acabam sendo compensados por profissionais que atuam com amor e continuam dando seu melhor, mesmo em situações adversas. Oferecer o que as pessoas precisam e ver a esperança no rosto de pacientes e familiares é o melhor retorno para quem trabalha nesta UPA.

Me despeço cordialmente, e desde já agradeço pela atenção e apoio dispensado.

Acesse nossas redes sociais:

Facebook: facebook.com/radioreal

Instagram: Instagram.com/radioreal_

YouTube ht:tps://www.youtube.com/channel/UCLagHHmQ97658eOsaeFTR4g

WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/Bp74k0zKMJ5Cd6NYgiTjX6


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home/pensereal/public_html/wp-includes/functions.php on line 4609